Fechar X

20 de setembro de 2012 às 22h10

Análise: "Encontro" se populariza e põe jornalistas pra dançar

da Redação
Compartilhe »
Reprodução Reprodução
Três meses de baixa audiência e com problemas para se manter em primeiro lugar no Ibope podem ter sido demais até para a Globo, mesmo levando em conta toda sua estrutura, planejamento e tradição no mercado. 
 
A condição acima relatada é a do "Encontro com Fátima Bernardes", atração planejada por mais de meio ano pela emissora carioca e que nesta quinta-feira (20) chegou a um dos seus estágios mais críticos.
 
Fátima Bernardes levou Latino ao palco, que recentemente adaptou um novo hit internacional e bateu recorde de dislike - os chamados "não curti" - do YouTube. 
 
Nada contra o Latino, mas este não é o tipo de atração que poderia se esperar de um programa apresentado ao público como algo refinado e de alto nível. 
 
A situação começa a piorar no ínterim em que Marcos Veras e Lair Rennó começaram a dançar a coreografia no meio do palco. Lair Rennó, que já foi âncora da Globo Minas e da Globo News, acompanhando Latino em uma dança em rede nacional. Quem poderia imaginar? 
 
E esta situação não foi única. Dia desses, o elenco estava se divertindo em uma piscina de amido - mas sob um pretexto de ciência. A mesma piscina de amido que os programas de domingo, como o de Gugu Liberato, usava para atrair audiência das camadas mais populares.
 
O que foi visto no programa de Fátima Bernardes nesta manhã só mostra o quão perdida está a direção. De nada adiantou a fortuna investida no projeto, no inovador cenário ou até mesmo no fato de contar com diretores de primeiro time da dramaturgia, como é o caso de Fabrício Mamberti. 
 
A escalação dos profissionais no palco, a abordagem dos temas, até mesmo o uso do GC mostram que a Globo abriu mão de todo o padrão de qualidade em troca de audiência e em troca de atenção da tão falada classe C. 
 
O humorista do "Encontro" não tem muita graça e não são raras as vezes em que é visível que até mesmo Fátima Bernardes se incomoda com ele. A participação de Lair também é limitada e um tanto estranha e deslocada. O GC, gerador de caracteres, que permanece fixo em boa parte do programa, também é uma tática que todas as emissoras usam para atrair audiência e que a Globo evitava em defesa dos seus conceitos de qualidade.
 
Apesar dos erros, o "Encontro com Fátima Bernardes" ainda, em quase todos os dias, é a melhor opção do horário. A Record, principal concorrente do gênero, ainda sofre para desenvolver o "Hoje em Dia", por maior potencial que o formato de revista eletrônica ainda tenha.

 
Converse com o colunista. Envie um e-mail para diretodatelinha@natelinha.com.br
 
 
publicidade
publicidade